​Pra não dizer que não falei da flor maior!

Por: Almir Ribeiro
Gabriela:
Era nome mãe mãe,

Também teve na novela,

Das mãos de Jorge, amada,

Por essas mãos mundialmente afamada!
Depois veio em sobrinha,

Linda, bela, nervosinha,

Ela também é Gabriela,

Fruto de outra era!
Fortes como o cravo

Morenas, cor de canela,

Mulheres da mesma fibra,

Diante da vida vibra

Nunca ficam na espera,

São, anjos de primavera,

São força, são Gabrielas!
São flores, são meus amores

Na alegria ou nas dores,

Feitas de fé na vida,

Prontas e decididas!

São a arte feita em forma de gente

Em mim sempre presentes,

Refletem Deus e Era,

Retratam mil descobertas,

Nome de sonoridade

De vida em profundidade
Amadas, queridas sinceras

São as minhas Gabrielas!
Mãe, sobrinha, afilhada,

Nomes fortes das feras,

Da novela, Símbolo de erotização,

Na minha vida, acolhidas,

São a certeza de eras

De constante evolução, 

trazendo a um ser que se esmera

O preenchimento da emoção!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s